Ideologia de gênero causa polêmica na Câmara de Vereadores de Mâncio Lima

por Jose Wytelon Rodrigues de Oliveira publicado 26/06/2015 16h58, última modificação 26/06/2015 16h58
Na última quinta-feira (25), um assunto polêmico tomou conta do debate na plenária da Câmara de Vereadores de Mâncio Lima.

Na última quinta-feira (25), um assunto polêmico tomou conta do debate na plenária da Câmara de Vereadores de Mâncio Lima. E não é para menos, pois esse assunto de ideologia de gênero vem causando divergências entre o legislativo federal, estadual e agora também, o municipal. Em Mâncio Lima os vereadores Manoel Medeiros (PMDB) e Rogério Morais (DEM) figuram entre os principais vereadores que divergem do assunto.

Toda essa discursão é por causa de um documento que o Prefeito Cleidson Rocha enviou às pressas para a Câmara de Vereadores. O documento que tem 19 metas faz parte da construção do plano municipal de educação, que valerá por dez anos. Um dos grandes problemas citado pelos vereadores de oposição é que a proposta foi enviada para a Câmara na última quinta-feira, e o Executivo queria a aprovação da proposta no mesmo dia.

O Vereador Rogério Morais não concordou com o prefeito Cleidson, e pediu prazo para que o documento, de quase 70 páginas fosse analisado com cautela. Segundo o vereador, ultimamente o prefeito não vem respeitando o poder legislativo, e vem querendo enfiar goela abaixo todas as vontades do Executivo.

De acordo com Rogério, um item que faz parte da meta 2 do documento se refere a ideologia de gênero, indo contra os preceitos da família tradicional e contra os princípios cristãos. O vereador Rogério pediu na tribuna que as pessoas de bem, os líderes religiosos e as pessoas que defendem a família tradicional participasssem da sessão de aprovação do documento, que ficou agendada para a próxima segunda-feira dia 29 de junho.

O vereador Manoel Medeiros, que faz parte do bloco de vereadores da situação, disse que as pessoas de Mâncio Lima já foram consultadas sobre o assunto, e todas aprovaram as 19 metas do documento. Manoel disse ser católico e a favor da família, e que a proposta visa combater a violência e o preconceito contra etnias indígenas, cor de pele, opção sexual das pessoas etc.

Por fim o vereador Rogério Morais disse: "fui eleito para representar a família e as pessoas de bons costumes, enquanto o vereador Manoel Medeiros representa o prefeito Cleidson Rocha". A vereadora Socorro Pinheiro (PT), e a presidente da casa, vereadora Angeleide (PROS) também acompanharam o vereador Rogério.

A vereadora Socorro Pinheiro (PT), que também é contra a proposta disse que este assunto já foi barrado na Câmara Federal, na Assembléia Legislativa e jamais poderá ser aprovado pelos vereadores de Mâncio Lima. A vereadora disse ainda que o documento sofrerá alterações por parte do poder legislativo, e que o Prefeito Cleidson Rocha vem desrespeitando os vereadores. Socorro citou outro exemplo, quando o prefeito decidiu ocupar a casa dos colonos com a Secretaria de Educação do município, sem ao menos consultar os vereadores, onde a maioria era contra essa ocupação.

Os vereadores farão uma sessão extraordinária na próxima segunda-feira dia 29 de junho às 7h30 da noite para aprovação do projeto.

Adicionar Comentário

Você pode adicionar um comentário preenchendo o formulário a seguir. Campo de texto simples.